Interpretação: So Cruel
12 de julho de 2013 · Interpretações
Interpretação: So Cruel
Postado por Suderland
socruel

O Achtung Baby recebeu muitas críticas favoráveis e estreou na posição de número 1, na Billboard 200, dos Estados Unidos. E ganhou um Prêmio Grammy em 1993, pela “Melhor Performance de Rock por um Duo ou Grupo com Vocais”. Foi um dos álbuns mais aclamados da década de 1990. E, como é de praxe, antes da interpretação, vamos às declarações da banda.

.:: Citações ::.

Em várias entrevistas a banda afirmou que o álbum “Achtung Baby” foi gravado num período muito turbulento para a banda, seja interna ou externamente. O tema da música “So cruel” é um exemplo claro disso, o divórcio do The Edge. Isso foi dito nas entrelinhas, como podemos ver nessas citações abaixo:

The Edge ao falar sobre a separação com a esposa explica que viajar para Berlim para escrever e gravar proporcionou-lhe um tipo de fuga: “Eu estava mergulhando na música por um motivo diferente. De certa forma era um refúgio. (Mas) essa abordagem não funciona completamente. Você sabe, eu não estava realmente… em um bom momento. Eu estava fugindo, eu suponho.” (do filme “From the Sky Down”)

Sobre a separação do Edge ter influenciado a música “So Cruel” Bono disse: “…isso está lá, mas é injusto com todas as partes The Edge e Aislinn terem se separado. Essa foi uma das coisas mais tristes… Mas isso era apenas uma parte do que estava acontecendo. Havia muitas outras coisas acontecendo dentro e fora da banda, e eu estava trabalhando em meio a tudo isso. As pessoas estão desesperadamente tentando se segurar umas nas outras em momentos de grande dificuldade. Olhando ao redor, você vê como todas as pessoas estão despreparadas…” (Niall Stokes, p. 101)

.:: Interpretação ::.

We crossed the line, who pushed who over? [Nós cruzamos a linha, quem empurrou quem até lá?]
It doesn’t matter to you, it matters to me. [Isso não importa para você, importa para mim.]
We’re cut adrift, but still floating. [Estamos desgovernados, mas ainda flutuando.]
I’m only hanging on to watch you go down, my love. [Eu estou só esperando para ver você afundar, meu amor.]

Por se tratar de uma relação fracassada, é natural o tom de desabafo e mágoa dessa letra. O sentimento de rejeição que nasce em alguém que deu muita atenção e ainda assim foi abandonado, faz com que se reaja com raiva por causa da dor provocada pela rejeição. A sensação, como a letra mostra, é de se estar desgovernado, flutuando, sem chão. Então vem a pergunta: “quem cruzou a linha” (proibida) que causou essa ruptura, que causou o fim? Essa pergunta expressa a busca por explicações para tentar entender o que deu errado e, talvez, pôr a culpa no outro.

Todo coração que sofreu uma perda amorosa procura algum alívio para a dor que tanto o machuca. Por isso que, para pessoas “despreparadas” (como citou o Bono), onde havia amor passa a haver ódio, pois o ódio passa a ser uma “solução” para amenizar a dor da rejeição. É nesse contexto que o personagem afirma ironicamente: “Eu estou só esperando para ver você afundar, meu amor.”

I disappeared in you [Eu desapareci em você]
You disappeared from me. [Você desapareceu da minha frente.]
I gave you everything you ever wanted [Eu lhe dei tudo o que você queria]
It wasn’t what you wanted. [Não era o que você queria.]
The men who love you, you hate the most [Os homens que te amam, você mais odeia]
They pass right through you like a ghost. [Eles passam por você como um fantasma.]
They look for you, but your spirit is in the air. [Eles te procuram, mas seu espírito está no ar.]
Baby, you’re nowhere. [Amor, você não está em lugar nenhum.]

Então o personagem continua explicando o porque de sua mágoa, sua dor. A outra pessoa sumiu sem nada explicar, mesmo ele tendo atendido todos seus desejos. Ela age como se ele tivesse desaparecido do coração dela, onde , talvez, ele nunca esteve. Então ele afirma que ela odeia os homens que a tratam bem, que a amam. Quem mais a valoriza é quem ela mais ignora, a ponto de passar por ela como se fossem fantasmas.

A letra continua dizendo que muitos procuram essa mulher e tentam segurar o seu amor, mas ela está sempre fugindo como se “seu espírito estivesse no ar”. Isso não é tão incomum, muitas pessoas não querem estabelecer um relacionamento amoroso com laços profundos por medo de se machucarem profundamente. Por isso fogem de relações onde há potencial para que isso aconteça. Isso a faz fugir dos homens que lhe dá amor verdadeiro, porque são justamente esses homens que podem magoá-la profundamente, se ela deixar o amor invadir seu coração. Sim, isso a protege, mas, ao mesmo tempo, impede que ela viva e encontre o que tanto busca: um grande amor.

Oh, love, you say in love there are no rules. [Oh, amor, você diz que no amor não há regras.]
Oh, love, sweet-heart, you’re so cruel. [Oh, amor, meu bem, você é tão cruel.]

Aqui a mulher disse algo frio e cortante como navalha para esse homem, disse que no amor não há regras. Talvez ela quisesse explicar o inexplicável, afinal de contas, quem dirá que há razão nas coisas do coração? E essa resposta fez com que esse homem respondesse com uma triste e dolorosa constatação: “Oh, amor, meu bem, você é tão cruel.” Para esse homem magoado essa é a única explicação para tamanha frieza e desamor: a crueldade. Afinal de contas, como ela poderia rejeitar um amor tão verdadeiro e precioso que ele estava oferecendo? Sim, há outras variáveis. A letra fala disso no próximo estrofe.

Desperation is a tender trap [Desespero é uma armadilha sutil]
It gets you every time. [Que te pega todas as vezes.]
You put your lips to her lips [Você põe seus lábios nos lábios dela]
To stop the lie. [Para parar as mentiras.]
Her skin is pale like God’s only dove [A pele dela é alva como a pomba de Deus]
Screams like an angel for your love [Grita como um anjo por seu amor]
Then she makes you watch her from above [Então ela faz com que você a olhe de cima]
And you need her like a drug. [E você precisa dela como uma droga.]

O personagem relata que o seu desespero por ter sido rejeitado o faz cair em sutis armadilhas mentais. Como, por exemplo, o vitimismo, que é uma forma de escapismo. Uma tentativa de se eximir do fardo da responsabilidade de suas próprias ações. Seja por ele ter se iludido por alguém que não o amava, seja por ter feito algo que afastou a pessoa que ele amava, etc. É sempre duro enxegarmos a verdade quando ela nos mostra uma falha nossa.

Aqui o homem parece que começa a enxergar o que está acontecendo, ele confessa que a beija para não ouvir as mentiras proferidas por essa mulher que ele ama. Porém, mesmo sabendo que ela mente e não nutre o mesmo amor que ele nutre por ela, ele se vê preso à ela por sua beleza física: pele, voz, etc. Ele chega a comparar a necessidade que estar ao lado dela com o vício por drogas. Achei curiosa a frase ” Então ela faz com que você a olhe de cima”, pois passa a ideia de que ela se coloca como uma coitada “gritando como um anjo por seu amor”, que fica ao seus pés para seduzi-lo, daí ele vê-la de cima. Ou seja, ela o prende num jogo de mentiras e sedução onde o amor passa longe. Ele sabe, mas não consegue largar o seu “vício”.

Oh, love, you say in love there are no rules. [Oh, amor, você diz que no amor não há regras.]
Oh, love, sweet-heart, you’re so cruel. [Oh, amor, meu bem, você é tão cruel.]

E ela justifica esse jogo de mentiras e sedução afirmando que “no amor não há regras”, mas que amor é esse que mente? Que amor é esse que abandona desaparece e ignora, mas ressurge quando está carente, como foi descrito nos estrofes acima? A conclusão do personagem é uma só: “Oh, amor, meu bem, você é tão cruel.”

She wears my love like a see-through dress [Ela usa meu amor como um vestido transparente]
Her lips say one thing, her movements something else. [Os lábios dela dizem uma coisa, os movimentos dela dizem outra.]
Oh, love, like a screaming flower [Oh, amor, como uma flor gritando]
Love dying every hour. [Amor morrendo toda hora.]
Ah, you don’t know if it’s fear or desire, [Ah, você não sabe se isso é medo ou desejo]
Danger the drug that takes you higher? [É mais perigosa a droga que te deixa mais extasiado?]
Head of heaven, fingers in the mire [Cabeça no paraíso, dedos na lama]
Her heart is racing you can’t keep up. [O coração dela está correndo, você não consegue alcançar.]
The night is bleeding like a cut [A noite está sangrando como um corte]
Between the horses of love and lust we are trampled underfoot. [Entre os cavalos do amor e da luxúria somos pisoteados no chão.]

Então o personagem confessa saber que a mulher que ama usa o amor dele como acessório, um vestido transparente. Outro indício da ausência de amor sincero da parte da mulher é que ela diz uma coisa, mas seus movimentos, suas atitudes dizem outra. Então o personagem confessa que o seu amor está morrendo ao perceber que está preso a essas dissimulações. Mas , se por um lado ele se sente enganado, por outro ele a deseja ardentemente, não quer desistir desse amor que o deixa extasiado. Sentimento que foi descrito poeticamente com a frase “Cabeça no paraíso, dedos na lama” . Essa frase expressa o dualismo vivido pelo amante em questão.

O certo é que em meio ao conflito interior do homem, a mulher que ele ama está ficando cada vez mais distante e seu amor está morrendo, como se fosse alguém ferido e sangrando. Eis um homem ferido pelos selvagens cavalos do amor e da luxúria.

Oh, love, to stay with you I’d be a fool. [Oh, amor, se eu ficasse com você eu seria um tolo.]
Oh, sweetheart, you’re so cruel. [Oh, meu bem, você é tão cruel.]

Ao fim, depois de constatar tudo isso, as mentiras, a indiferença, os jogos de sedução e controle, ele compreende que se ficasse com essa mulher ele seria um tolo, pois onde há amor verdadeiro não há espaço para mentiras,indiferença e jogos de controle. Então porque ela faz tudo isso? Por que ela insiste nesse jogo? A conclusão do personagem é uma só: “Oh, amor, meu bem, você é tão cruel.”

Cordialmente,

Suderland Guimarães
@suderland


Compartilhar notícia